sábado, novembro 27, 2010

Viver o Advento


Estamos a começar o Advento. É um tempo para preparar o Natal. Ele é para todos, porque o Natal é também para todos. Vamos dando conta, a cada momento com maior nitidez, de que o Natal cristão está a ficar muito escondido dentro das nossas casas e igrejas, e até dentro de nós próprios. O consumismo e a publicidade, a rotina e a indiferença são também algumas razões que têm eclipsado o sentido da vida, o sentido da fé e da esperança. Sem ficarmos fora da órbita da vida, precisamos de corrigir o percurso da vida cristã: não só não podemos perder o sentido do Natal hoje, como também precisamos de o desenvolver sempre mais no suporte de uma fé, esclarecida e forte, para uma vivência da esperança, fundamentada e comprometida. .  A caminhada da preparação para o Natal não é mais um adorno exterior, porventura até enriquecedor da liturgia do tempo, mas uma ocasião fundamental para darmos um ou mais passos para a frente. É um Tempo para aprender a esperar Deus que vem ao nosso encontro. Mas como se faz para preparar um encontro com Deus? A Palavra de Jesus é clara: "Há que acordar!" Que estar praparados para a mudança. Acima de tudo, há que despertar o coração. Às vezes, temos o coração pesado demais. Preocupações, desilusões, enganos, falsos deuses, valores insignificantes...há muita coisa a tornar pesado o nosso coração. E vivemos, como que anestesiados. Sem capacidade de reagir com entusiasmo e energia diante de um acontecimento inesperado.
O Advento é o tempo da esperança verdadeira. O Tempo em que Jesus Se encontra com cada um de nós e mostra a bondade do Pai. Mas há muita gente que não consegue ver esta verdade poderosa. Para ver Deus que Se revela é preciso ter o coração dos pequenos, o coração puro, capaz de se abrir à LUZ. 
O Advento é como uma obra de engenharia. É um tempo para avaliar a qualidade do terreno sobre qual construímos a nossa casa, a nossa vida.
Temos coragem de escavar mais fundo, à procura da rocha verdadeira que é CRISTO? Ou contentamo-nos com terrenos frágeis, sempre instáveis e movediços, incapazes de dar solidez e dignidade ao nosso futuro? Escavar em profundidade não é só escutar a Palavra de Deus: é pô-la em prática! Transformá-la em gestos concretos
 É importante, por isso, que toda a comunidade cristã (crianças, adolescentes, jovens e adultos), individualmente e em grupo, se empenhe neste processo. O Natal não é o passado histórico, celebrado de forma mais ou menos romântica e folclórica, mas é o presente da fé comprometido com o futuro esperado e possível. DEUS não é o passado: É o hoje e o amanhã.

Temos esperança em Deus? As pessoas acreditam em nós quando dizemos que somos alegres em todas as situações porque sabemos que Deus está connosco?
O amor de Deus não perdoa apenas e sem mais…deve provocar a nossa conversão. Damos espaço a Deus para ter uma opinião sobre a nossa vida?
O que dinamiza o mundo é o amor… nunca o medo… em situações em que temos poder, usamo-lo para atemorizar os outros?
Só tem mesmo esperança em Deus quem reza. Rezamos?
Os bens de que dispomos são, em última análise, dom de Deus. Somos capazes de os partilhar? Já nos lembrámos de proporcionar um Natal mais digno a alguma pessoa ou a alguma família?
Praticamos ou praticámos algum acto de violência contra alguém (física…psicológica)?

Lucas 3, 1-6

«Uma voz clama no deserto:
Preparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas.»

Deus enviou o seu profeta, João Baptista, a preparar a chegada do Messias Jesus. Em nome de Deus, o profeta convida à mudança. Ele fala de estradas direitas e de montes aplanados. Mas poderia falar de justiça, do fim da opressão dos mais fracos, da chegada de um tempo de verdade e transparência.
Hoje cada um de nós, é a voz profética que Deus envia aos nossos dias para anunciar a proximidade de Deus. Como? É hora de inventar gestos que convidem os nossos amigos, os nossos vizinhos, os nossos familiares... a uma atitude nova. À Esperança. A abrirem o coração à novidade de Deus.

Video: ADVENTO





Deus tem um desejo. Grande. Profundo. Que não fique ninguém de fora. Deus, ao contrário de nós, nunca dirá: "Desisto de ti. Tentei mas não me ouves... nada a fazer."
Ele escolheu-nos. a cada um de nós, pelo nome. E não desiste de nenhum de nós. Nunca. Sempre virá á nossa procura, mesmo quando Lhe virarmos as costas. mesmo quando O recusarmos. Jesus veio até este mundo, como pastor à procura das suas ovelhas perdidas. À procura de cada um de nós.
João Baptista e Jesus mostraram com os factos e com a autenticidade das suas vidas que é preciso tomar decisões. Escolher. Optar entre as tantas possibilidades que temos...
A multidão que acompanha Jesus prefere não escolher. Prefere estar sempre no "contra". Decidir-se por Jesus, pelo seu estilo de vida é difícil. Mas belo! Se estiveres disponivel para a autenticidade, a simplicidade, se te tornares amante da vida e da verdade, serás capaz de aceitar a sabedoria de Jesus e o Seu Evangelho.

Tantas vezes, Senhor, fico com as ideias confusas...
Ouço tantas opiniões diferentes, tão atraentes, tão fortes...
Onde está a verdade? Olhando para o teu estilo de vida, para os teus gestos de amor constante, descubro que Tu és a única sabedoria. Ajuda os meus gestos a serem como os teus, o meu coração a amar como o teu!

Video: Ao Encontro da Luz



Vem, Senhor Jesus.
Com a força da Tua Ternura.
Com a energia poderosa da Tua Presença.
Com o fogo da Tua Novidade.
E muda as nossas existências mesquinhas.
E transforma-nos.
E acorda-nos para o que é realmente importante.
VEM SENHOR JESUS!!!




1º Domingo de Advento


Evangelho segundo S. Mateus 24,37-44
Naquele tempo disse Jesus aos discípulos:
Como foi nos dias de Noé, assim acontecerá na vinda do Filho do Homem.
Nos dias que precederam o dilúvio comia-se, bebia-se, os homens casavam e as mulheres eram dadas em casamento, até ao dia em que Noé entrou na Arca; e não deram por nada até chegar o dilúvio, que a todos arrastou. Assim será também a vinda do Filho do Homem.
Então, estarão dois homens no campo: um será levado e outro deixado; duas mulheres estarão a moer no mesmo moinho: uma será levada e outra deixada. "Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia virá o vosso Senhor. Ficai sabendo isto: Se o dono da casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, estaria vigilante e não deixaria arrombar a casa. Por isso, estai também preparados, porque o Filho do Homem virá na hora em que não pensais".

Luzes do Evangelho

No Evangelho deste 1º Domingo de Advento vemos Jesus a alertar os seus ouvintes com a história de Noé. Por vezes, os homens esquecem que devem tudo a Deus e não desejam nada mais do que "gozar" a vida. Chega o dilúvio, as águas vão subindo e invadem toda a terra.
Dilúvio... como não pensar na invasão de publicidade, de solicitações e convites que entram constantemente pelos nossos olhos e nos entram no coração?
Muito depressa podem subir as águas, da indeferença, do egoísmo, do "cada um que se amanhe". Ao principio não passa de uns pingos. Nem lhes damos atenção; mas depois, pouco a pouco, inundam-nos a vida toda, impedem-nos de pensar nos outos, impedem-nos de pensar em Deus.
E somos apanhados de surpresa, como nos dias de Noé: já não há nada nem ninguém para nos alumiar.
Mas...todoos dias Jesus se faz convidado da nossa vida. Quer ajudar-nos a transformá-la, a torná-la mais agradável.

Abre o teu coração e mostra a Jesus as tuas "doenças", as tuas fragilidades e fraquezas, as feridas que carregas, a fé ainda vacilante...
Deixa que Jesus olhe para ti e te diga: "Queres ficar curado?"
Jesus é maior do que o teu coração, do que as tuas forças. Ele é capaz de te dar uma vida radicalmente nova.

Senhor, dá-me olhos novos!
Capazes de ver o que se passa realmente no meu coração.
Olhos que não se fiquem nas aparências.
Olhos capazes de apreciar a verdadeira beleza.
Olhos capazes de escolher a estrada certa.
Olhos capazes de olhar a alegria e a força da Tua Luz!

Publicado em 1 de Dezenbro de 2010


2º Domingo de Advento

Evangelho segundo S. Mateus 3,1-12

Naqueles dias, apareceu João Baptista, a pregar no deserto da Judeia. Dizia: "Convertei-vos, porque está próximo o Reino do Céu". Foi deste que falou o profeta Isaías, quando disse: Uma voz clama no deserto: "Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas".
João trazia um traje de pêlos de camelo e um cinto de couro à volta da cintura; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. Iam ter com ele os de Jerusalém, os de toda a Judeia, e os da região do Jordão, e eram por ele baptizados no Jordão, confessando os seus pecados.
Vendo, porém, que muitos fariseus e saduceus vinham ao seu baptismo, disse-lhes: "Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da cólera que está para vir? Produzi, pois, frutos, dignos de conversão e não vos iludais a vós mesmos, dizendo: "Temos Abraão por pai!" Pois digo-vos:
Deus pode suscitar, destas pedras, filhos de Abraão. O machado já está posto à raiz das árvores, e toda a árvore que não dá bom fruto é cortada e lançada ao fogo.
Eu baptizo-vos com água, para vos mover à conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso que eu e não sou digno de lhe desapertar as sandálias. Ele há-de baptizar-vos no Espírito Santo e no fogo. Tem na sua mão a pá de joeirar; limpará a sua eira e recolherá o trigo no celeiro, mas queimará a palha num fogo inextinguìvel".

Luzes Do Evangelho

João Baptista aparece aqui com aspecto de um profeta enigmático. O seu jeito de vestir e de se alimentar causam-me espanto, mas aprecio sobretudo a força das suas palavras. Ele quer despertar os ouvintes. E diz que o corrigir os maus hábitos não se pode deixar para amanhã: Deus está muito perto. João Baptista propõe então que vivam um baptismo de conversão, ou seja que tomemos uma atitude de mudança. Mergulhando completamente na água do Jordão, cada convertido manifesta que está pronto a deixar o que há de mau nele para empreender caminhos novos. Converter-se è mesmo transformar-se, mudar de rumo, fazer novas escolhas, e não voltar aos caminhos que não levam a parte nenhuma!

Pelo baptismo cada cristão é chamado a entrar por completo na vida de Deus. Só se é baptizado uma vez, mas Jesus vai pedir que nos "lavemos" o mais amiúde possível, aproximando-nos dos outros. A indiferença faz que fiquemos bem secos de pés e de coração. Mas o Reino que queremos alcançar obriga-nos a seguir outro caminho...

Deus avisa. Deus manda-te muitos profetas, muitos sinais, muitas vozes. E todas te dizem o mesmo: "Prepara o caminho." Prepara-te para o encontro com Cristo. Não continues preso nas tuas rotinas, na tua mediocridade, na tua apatia.
O Senhor está a chegar. Ele vem... vem para ti, para mim... muda o que tiveres a mudar para que o encontro com Ele seja de festa. Para que a bela notícia que Ele traz possa encher-te de alegria e gozo.

Senhor, limpa-me os ouvidos. E assim poderei escutar melhor os teus profetas.
Abre-me os olhos. E poderei ver os sinais que mostram a Tua chegada.
Acalma-me o coração para que todo o meu ser deseje encontrar-me contigo.

Vídeo: Preparai o Caminho do Senhor




Publicado em 8 de Dezembro de 2010


Imaculada Conceição

Uma Luz importante no nosso caminho


Todos os anos celebramos uma grande festa no dia 8 de Dezembro: a Imaculada Conceição de Nossa Senhora. Esta expressão quer lembrar-nos que Maria nasceu à perfeita imagem de Deus, sem qualquer falta, sem pecado. Desde o seu nascimento, Deus a protegia. Deus amava-a como a todas as crianças da terra, ricas ou pobres, doentes ou saudáveis. Mas além disso, Deus contava com Ela para que pudesse um dia ser a Mãe de Jesus. Assim Maria foi uma menina como as outras, uma mulher comum do seu tempo. Vivia atenta à Palavra de Deus, pondo-a em prática. Pode dizer-se que deixava irradiar perfeitamente nela o amor que Deus lhe tinha.

Maria quer partilhar com quem ama, a alegria que lhe vai no coração: Deus fez nela coisas maravilhosas! É uma atitude natural para os cristãos. A nossa fé não é uma prisão nem uma obrigação. É uma resposta de alegria às maravilhas que Deus faz nas nossas vidas. Por isso, hoje é dia de partilhar com alegria. De dizer aos outros o que nos vai no coração. Não tenhamos medo se não encontrarmos as palavras certas, o importante é comunicar, fazer como Maria. Dizer que Deus não é uma ideia abstracta: é uma presença no meio de nós que dé um sabor novo à nossa vida. QUE MUDA TUDO!

Senhor Deus, ajuda-me a aprender como Maria a escutar a Tua palavra. Ela escutava aTua palavra, guardava-a no coração ao ponto de se fazer carne na pessoa de Jesus. Ajuda-me a meter Jesus no centro da minha vida.



Vídeo: MARIA IMACULADA



Publicado em 11 de Dezembro de 2010


3º Domingo De Advento





Evangelho segundo S.Mateus

Naquele tempo, João Baptista estava no cárcere. Tendo ouvido falar das obras de Cristo, enviou-lhe os seus discípulos com esta pergunta: "És tu aquele que há-de vir, ou devemos esperar outro? Jesus respondeu-lhes: "Ide contar a João o que vedes e ouvis: Os cegos vêem e os coxos andam, os leprosos ficam limpos e os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a Boa Nova é anunciada aos pobres: E bem-aventurado aquele que que não encontra em mim ocasião de escêndalo". Depois de eles terem partido, Jesus começou a falar às multidões a respeito de João: "Que foste ver ao deserto? uma cana agitada pelo vento? Então que fostes ver? Um homem vestido de roupas luxuosas? Mas aqueles que usam roupas luxuosas encontram-se nos palácios dos reis. Que fostes, então, ver? Um profeta? Sim, eu vo-lo digo, e mais que um profeta. É aquele de quem está escrito: Eis que envio o meu mensageiro diante de ti, para te preparar o caminho. Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, não apareceu ninguém maior do que João Baptista; e, no entanto, o mais pequeno no Reino do Céu é maior do que ele".

Luzes Do Evangelho

Quando nos nossos dias ouvimos falar de "Boa Nova", pensamos certamente no Evangelho. Mas para os cristãos a Boa Nova é antes de mais esta imensa marca de amor que JESUS nos deixou com suas palavras, seus gestos e sua vida.
Os cegos que começam a ver, os coxos que passam a andar... são com certeza coisas que parecem incriveis. Mas estes gestos de cura mostram-nos que Deus se interessa pela humanidade, que o Salvador esperado já chegou. poderíamos dizer: quando virdes acontecer coisas tão belas, quer dizer que Deus está muito perto de vós!
Sabemos que a inteligência do homem e o progresso da ciência permitem em nossos dias tratar e curar terriveis doenças. Mas dar amor aos outros e aceitar o amor deles também permite curar feridas interiores, como tristezas e desgostos. Também nestes gestos de partilha nós sabemos que Deus está próximo e que nos mantemos no caminho certo.
Agora, é importante que cada um de nós, se faça seu "profeta": em pequenas coisas mostraremos que Deus está bem presente na nossa vida e que se interessa por nós.

Video: The Prayer


video


Eu quero louvar-Te, Senhor, pelos sinais de liberdade que puseste no meu caminho.
Que me ajudam a perceber a imensidão do amor que me tens.
Que me convencem que a minha vida tem valor.
Que me mostram que não estou sozinho diante das minhas dificuldades.



Continuação de Bom Advento!

Abraço fraterno.
Arménio Rodrigues


sexta-feira, novembro 19, 2010

Acompanhamento Pessoal


Já certamente te aconteceu ir a um banco e receberes «atendimento personalizado». Parece que és a pessoa (pelo menos naquele momento) mais importante do mundo: atenção especial, delicadeza, muitos sorrisos. Mesmo sabendo que nos estão a meter a mão ao bolso numa operação financeira que nos vai ficar cara... Com as «gentes do mundo» podemos aprender a ter também para com os nossos destinatários um «atendimento personalizado».
Cheio de simplicidade e familiaridade. Marcado pelos valores do evangelho, que nos leva a sair de nós mesmos para ajudarmos os outros a tomar decisões serenas como Jesus nos pede viver.

O «acompanhar» supõe fazer «companhia» e ser «companheiro» de viagem na vida de quem temos diante. Ser companheiro é estar ao lado. Porque ninguém pode substituir o outro no seu processo de crescimento. É preciso partilhar a vida enquanto se caminha: escutar e acolher as preocupações, compreendendo valores e situações. Suscitando sempre a procura de sentido e ajudando a criar uma resposta positiva diante das mil e uma encruzilhadas que vamos encontrando.

São «três» os protagonistas do acompanhamento pessoal: quem acompanha, quem é acompanhado e o Espírito. Quem acompanha deve mostrar a empatia suficiente para criar confiança, viver de uma forma «significativa e coerente» os valores do Evangelho, saber usar da prudência e dessa sabedoria ímpar que supera os manuais mais eruditos, mais vazios de vida intensamente vivida: Com responsabilidade e grande sentido de Deus. Quem se deixa acompanhar abre os seu «espaços interiores» ao diálogo com a experiência e o «saber» de quem acompanha. Com liberdade, confiança e verdade, deixando-se interpelar. E o Espírito? O Espírito é mestre oleiro que acompanha um e outro de forma silenciosa, como dom e graça, para que este «acompanhar» se faça em direcção a um horizonte de esperança e vida em Deus. Em resumo, rico de «espiritualidade».

O acompanhamento pessoal exige dos «acompanhantes», uma grande disponibilidade para «estar com» e intuir nas pequenas coisas, os grandes desafios da vida de quem temos diante. Criando à nossa volta uma verdadeira «escola de vida» e espiritualidade que suscita interrogações e dá razões de fé e esperança. Sem manipulações nem simplismos. Sabendo conduzir as nossas crianças com doce firmeza a metas exigentes de fidelidade cristã e a propostas de santidade alegres.

A missão de «acompanhamento pessoal» exige um testemunho pessoal construtor de um ambiente favorável ao encontro, à confiança, e à empatia. À partida pode parecer que, nesta tarefa de «acompanhar o outro», ninguém está à altura...Certamente são necessárias algumas técnicas, algum saber. Mas, como em tantas outras situações, a omissão e o absentismo são negativos. Quando virmos que é precisa uma palavra de encorajamento e ânimo; quando percebermos que o nosso testemunho ou o nosso «companheirismo» podem ser importantes, não abdiquemos de actuar. Uma palavra ao ouvido e um conselho ajustado podem ser essenciais no crescimento dos nossos destinatários. Importante é começar. Mesmo pobres de grande ciência, a nossa sabedoria (feita de coisas simples) é sempre uma mais-valia diante da incerteza do outro. E com algum treino e formação específica podemos sempre melhorar. Começa pelo «atendimento personalizado».
Com simplicidade familiaridade.
Lança-te: deixa depois que o Espírito actue em ti!


Vídeo: ESPÍRITO SANTO


Abraço fraterno!
Arménio Rodrigues