terça-feira, julho 13, 2010

Deus

.
Deus é um amigo que estabelece com o povo um pacto de amizade, que o protege no caminho e que suscita uma resposta de confiança e cumprimento da Lei; é ainda um Deus que convoca o povo e o põe a peregrinar para o futuro, para a Promessa, para o reino da vida autêntica.
.
No Antigo Testamento, Deus não é chamado e conhecido como «Pai». Mas é um Deus que cria, que liberta e oferece uma lei que dá e possibilita a VIDA.
Deus não é Pai porque gera de forma fisica, mas porque chamou os filhos de Israel para serem um povo de homens livres. É Pai porque ama e porque escolhe um povo e o guia segundo o caminho da Lei, conduzindo-o a uma terra de liberdade. Desta forma, quase sem usar a palavra "pai", os hebreus começaram a realizar a grande revolução religiosa do símbolo paterno.
.
No Novo Testamento, principalmente nos Evangelhos, podemos descobrir os traços principais da paternidade de Deus, de um Deus que só se descobre à medida que se nasçe de novo, acolhendo o Reino de Deus entre nós.
Deus é Pai, dá a vida numa atitude de graça. Por isso, a descoberta da paternidade divina só é possivel de se descobrir à medida que se aceita nascer de novo, fazer a experiência de um novo nascimento, deixando-se amar por Deus em atitude de acolhimento gratuito. Por isso, Jesus definiu os crentes como "crianças" (Mc 9, 33-35).
Deus é Pai, perdoa os homens. Porque Deus ama de modo gratuito, permite o renascimento daqueles que já estavam mortos no mundo e para os donos do mundo: coxos, aleijados, cegos, pecadores, prostitutas... agora todos, não apenas alguns, são herdeiros da herança divina: serem filhos de Deus. Quando o pai recebe o filho mais novo, oferece-lhe um novo nascimento, o filho mais velho percebe que tem de mudar de vida e percebe que a "paternidade" não está no cumprimento cego da lei, mas sim no AMAR e deixar-se AMAR.
Deus é Pai, em diálogo constante com os homens. Deus está em profunda intimidade com os homens, numa intensa proximidade. Deus não está fora da humanidade, nem dentro dela, confundindo-se. Deus é companheiro de caminho que nos permite viver da vida divina, oferecendo-se em gestos de gratuidade e proximidade. O Mistério de Cristo, a possibilidade de participar nesse Mistério, permite compreender que o Filho permite-nos conhecer e venerar o Pai. Aqui chegamos ao centro do Mistério cristão: a experiência pascal. Deus revela-se plenamente como Pai ao ressuscitar da morte o Filho Jesus Cristo. Só assim O conhecemos na Sua totalidade. Deus é Pai como amor fundador e final, que ressuscitará a humanidade da morte, porque já ressuscitou o Seu Filho Jesus, primogénito de toda a humanidade.
.
.
Vídeo: TU ESTÁS AQUI

.

Abraço fraterno!

Arménio Rodrigues

segunda-feira, julho 05, 2010

Presença de Deus


A vida agitada da nossa civilização automatizada e d0 nosso desenvolvimento tecnológico vai cada vez mais afastando o homem do contacto directo com a natureza, tornando-o cada vez mais insensível à maravilha do universo e cego em face a tantas belezas naturais. É preciso um certo esforço para voltar às bases e descobrir as atrações que o universo nos oferece. Não é preciso fugir para o fundo das matas para ver o que a flora tem de maravilhoso. Contemplar a beleza de uma flôr do jardim, sentir-lhe o perfume por alguns instantes de repouso já significa levantar um pouco o véu que esconde o tesouro das belezas naturais e deixar que esse espectáculo faça jorrar mais optimismo na nossa mente. Não é preciso retirar-se das concentrações urbanas para acolher o que a fauna nos oferece de reconfortante para a mente. Basta abrir os olhos e ver. No mistério da vida dos mais pequenos insectos escondem-se tesouros de belezas naturais. Não é preciso ir muito longe para abismar-se com as riquezas que a natureza tem para nos oferecer. A felicidade encontra-se potencialmente em cada um de nós. Basta saber descobrí-la. Por isso, quem não pode, por um motivo ou por outro, fugir de seu ambiente corriqueiro de vida, por alguns dias, para ir desfrutar a paz de um lugar tranquílo perdido no interior, cercado de montanhas, rios e florestas, pode, por um pequeno esforço que com o tempo vai se transformando em hábito, criar em si mesmo esse ambiente reconfortante. O que deve ser evitado a todo custo é a mania de "ruminar" idéias pessimistas e repassar mentalmente os acontecimentos infelizes de nossa existência. O que deve ser procurado, incessantemente, é cultivar as idéias optimistas e apoiar-se nos sucessos para enfrentar as novas lutas. E tudo fazer para que não percamos a sintonia com a natureza e não nos privemos de seus encantos nem do seu criador!
Donde procede esta diversidade da vida? Quem decidiu sobre o curso dos astros que determinam o tempo do verão e do inverno, as sementeiras e as colheitas, o dia e a noite? Quem proporcionou a ordem às plantas e aos animais e concedeu a fertilidade à terra? Quem faz brotar a vida no seio das mães? O que é que existiu no principio e qual será o fim? Os homens que sofrem, queixam-se: quem faz estremecer a terra e provoca as inundações? Quem retém as águas para secar a terra? Donde vem a desgraça, a doença, a morte? Donde vem o mal e quem lhe dá o poder de encher o coração humano? Acabará o mal por vencer o bem? Será a morte mais forte que a vida?
Em todo o mundo se ouvem as mesmas interrogações que angustiam os homens.Os mais sábios de entre todos os povos buscam uma resposta. Falam do mistério dos começos, das obras da divindade e da sua história com a humanidade. Nós cristãos, acreditamos que “tudo procede de Deus”. Quero dizer com isto que o mundo e tudo o que ele contém não surgiu de si mesmo nem do acaso, mas surgiu porque Deus assim o quis; sem Ele não haveria VIDA. E é quando observamos a natureza que vemos a presença de Deus.Deus manifesta-se em tudo o que é vida, em tudo o que cresce...Ele está em tudo e em todos!

.

Video: Presença de Deus

video

Abraço Fraterno

Arménio Rodrigues