sábado, junho 19, 2010

Senhor, ensina-me a Rezar!


O que se passa quando não há disposição para orar? É bom rezar só naqueles momentos em que nos apetece ou quando estamos dispostos a isso? Deve-se rezar só quando faz falta? Só quando as coisas correm mal? Nos momentos de decepção, dor e tristeza não é fácil rezar.
Porque nem sempre é fácil rezar, devemos descobrir, para cada circuntância da nossa existência, a melhor forma de abrirmos o "nosso apetite" para o encontro com Deus, o Senhor das nossas vidas... tornando a Deus centro da própria existência. Dizia S. Paulo: "Estai sempre alegres, orai incessantemente, dai graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus a vosso respeito em Cristo Jesus" (1Tes 5, 16-18).
Rezar é um encontro que se alimenta e favorece. Um encontro de alegria e vida. Um encontro que se torna necessidade vital. Um encontro que precisa de ser alimentado pela Palavra, pela disponibilidade, pela vida. Com tudo o que ela comporta e enriquece. De mil formas. Estar em silêncio; é uma oração. Estar em paz; é uma oração. Contemplar uma paisagem que desperta sentimentos de beleza e tranquilidade; é uma oração. Uma partilha, cujo centro é a predilecção de um Deus que é Amor. Que quer fazer-se vida na nossa vida. Com tudo o que ela é. Este "encontro" alimenta-se sobretudo na palavra de Deus. A palavra de sentido torna-se diálogo, partilha, compromisso. Na simplicidade de uma vida que é capaz de dizer, como Maria: em todo o tempo e lugar "a minha alma glorifica o Senhor... porque pôs os olhos na humildade da sua Serva" (Lc 1, 47)
.
.

Video com som: The Prayer
video
..
..

Abraço fraterno
Arménio Rodrigues