quinta-feira, junho 11, 2009

Eucaristia



Prefiguração - Promessa da Eucaristia

Os milagres da multiplicação dos pães quando o Senhor disse a bênção partiu e distribuiu os pães pelos seus discípulos para alimentar a multidão prefiguram a superabundância deste pão único da Sua Eucaristia.
O sinal da água transformada em vinho em Canã anuncia desde logo a hora da glorificação de Jesus. E manifesta o cumprimento do banquete das núpcias no Reino do Pai, onde os fieis beberão do vinho novo tornado Sangue de Cristo.

Eucaristia - Sacramento da Comunhão

Toda a Eucaristia está orientada para um convite: "Tomai e bebei!" Momento culminante da Celebração Eucaristica - COMUNHÃO Cristo torna-se presente para realizar a comunhão connosco. Sentido profundo da comunhão: Comungar com Jesus o mistério da morte e Ressurreição. Oferecemo-nos com Ele a Deus. Vivemos a mais íntima e intensa comunhão com Cristo. "O que come a minha carne e bebe o meu sangue habitará em mim e eu nele." (Jo 6, 56)

"Embora sendo muitos, formamos um só corpo, porque comemos todos do mesmo Pão." (1Co 10, 12) A Eucaristia leva os cristãos a viverem em comunhão na vida quotidiana, edificando a comunidade fraterna e contribuindo para o mundo mais fraterno.

Os grandes momentos da celebração: 1 - Liturgia da Palavra. 2 - Liturgia Eucarística.

Oração Eucaristica A Igreja dá acção de graças com Cristo pelas Maravilhas da salvação Cristo torna-se presente nos sinais do pão e do vinho. Actualiza o Seu significado redentor por toda a humanidade Acto Supremo: COMUNHÃO

Viver a Eucaristia - "Fazei isto em Memória de mim."


Video - EUCARISTIA
video

Pode também ver este video em http://www.youtube.com/watch?v=-oQ_20lJHDg

Arménio Rodrigues menorodrigues@gmail.com

sexta-feira, junho 05, 2009

Santíssima Trindade


Mistério grande vivido na intimidade do encontro entre Deus e a humanidade. Tudo nos é dado nesta forma de amor. E em tudo permanece connosco, ensinando-nos a cumprir tudo o que o Senhor nos indicar. Deus que para nós é pessoa. Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Mistério a contemplar e a viver na missão para que esteja sempre connosco, até ao fim dos tempos.

Como reajo eu aos mistérios de Deus? Como reajo ao mistério da encarnação, da paixão, da ressurreição, da Santíssima Trindade? Não há atitude mais coerente que a da adoração. Perante um Deus que sei que nos quer como nós não conseguimos entender, só posso ficar agradecido/a e renovando o meu amor.
"Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra."
Jesus mostra-se aos seus discípulos quem é realmente. Uma vez ressuscitado, ele é o Senhor do céu e da terra. Mas este poder foi-lhe dado e não conquistado, ou seja, insere-se nos planos de Deus. E como poder que é dado, é para ser posto ao serviço e não para ser usado tiranicamente.
Que poder é esse que Jesus tem sobre o céu e a terra? É um poder que organiza tudo e que me leva a viver de braços cruzados? É um poder que tem todas as soluções para os meus problemas? É um poder que me atemoriza, me controla e subjuga? Ou, muito pelo contrário, é um poder que me motiva a colaborar com ele, a enfrentar as intempéries da vida e a saborear a vida em plenitude?
Acção:
Viver o dia de hoje na certeza do amor que a Santíssima Trindade me tem. Viver na certeza que ela vela por mim, me guarda e me tem consigo e que, portanto, qualquer coisa que me aconteça e faça será para meu bem, ainda que no momento tudo pareça indicar o contrário.
"Ide e fazei discípulos de todas as nações…"
Depois de fazer com que os seus discípulos reconhecessem que estava vivo e era soberano do céu e da terra, Jesus partilha com eles um desejo, a sua vontade, uma ‘quase-obediência’: que fossem por todo o mundo e que, no contacto com os outros, fizessem destes seus discípulos.
Mais do que uma consolação para mim, o encontro com Jesus deve ser sempre um momento de conversão. É no encontro íntimo com ele que ele se dá a conhecer, dá a conhecer a sua vontade e me dá uma obediência: ele que é o Senhor do céu e da terra quer reinar no coração de cada homem e mulher e conta, portanto, com a minha colaboração.
Que mais podíeis dar do que dar-Vos a Vós mesmos, ó Trindade eterna? Sois um fogo que arde sempre e não se consome. Sois Vós que consumis com o vosso calor todo o amor profundo da alma. Sois um fogo que dissipa toda a frialdade e iluminais as mentes com a vossa luz, aquela luz com que me fizestes conhecer a vossa verdade.
O que Fazer?
Aceito o desafio de Jesus e hoje vou procurar ensinar os outros a cumprir o mandamento do amor segundo Jesus. Antes devo ser consciente de que a melhor forma de o fazer é começando por mim: amando a Deus e aos outros, à maneira de Jesus.
Arménio Rodrigues
menorodrigues@gmail.com